Pró-Paraná celebra os 33 anos da Constituição Federal e os 32 da Constituição Estadual

Os 33 anos da Constituição Federal e os 32 anos da Constituição Estadual foram celebrados na noite desta terça-feira (5/10) em um evento realizado pela Faculdade Pan-Americana de Administração e Direito (FADAP) e pelo Instituto Democracia e Liberdade (IDL) com o apoio do Movimento Pró-Paraná.

Os destaques do evento, que foi transmitido pelo canal da instituição de ensino no Youtube, foram as narrativas, em primeira pessoa, de integrantes da Assembleia Nacional Constituinte e da Constituinte do Paraná. Os relatos foram feitos, respectivamente, pelos então parlamentares constituintes Nilson Sguarezi e Ezequias Losso. A mediação ficou a cargo do juiz federal Friedmann Anderson Wendpap.

A abertura dos trabalhos foi feita pela advogada e professora Rosane Gil Kolotelo Wendpap, diretora da FADAP e também diretora de eventos do Pró-Paraná. Rosane agradeceu aos participantes e ressaltou a importância de comemorar as promulgações.

Edson José Ramon, presidente do IDL, destacou a relevância da data. “Nos sentimos honrados, em nome do IDL, de estarmos presentes neste momento histórico em que comemoramos o aniversário das Constituições do Paraná e do Brasil”, ressaltou Ramon ao cumprimentar os apoiadores e realizadores do evento.

Ramon falou também do caminho percorrido até a promulgação e ressaltou o papel de Losso na constituinte estadual. “Foram momentos marcantes para o Paraná, e também para o Brasil, que consignaram a democracia, depois de 20 anos de regime militar”, lembrou.

“Foi um momento gratificante e necessário, mas percebemos que a democracia ainda necessita de ajustes”, ressalvou o presidente do IDL.

Além de Rosane Wendpap, o Pró-Paraná foi representado por seu presidente, Marcos Domakoski. Para ele, a data pede também reflexões.

Após saudar os presentes e destacar a honra por participar de um evento com tamanho significado, ele enfatizou que “com a Carta de 1988 a cidadania ganhou força e tivemos resgatados direitos valiosos, como o voto direto e as liberdades de reunião e de expressão”.

“O aniversário da Constituição é também um lembrete do quanto esforço custa a redemocratização. Ou, em palavras mais objetivas, um alerta de que devemos nos afastar, categórica e rapidamente, de qualquer movimento que contraria a independência e a separação dos poderes”, afirmou Domakoski.

O presidente do Pró-Paraná fechou sua saudação com uma frase de Ulysses Guimarães, o presidente da Assembleia Nacional Constituinte: “A história nos desafia para grandes serviços, nos consagrará se os fizermos, nos repudiará se desertarmos.”

Relatos

Friedmann Wendpap relembrou os 29 anos do desaparecimento de Ulysses Guimarães e afirmou que as datas celebradas a 5 de outubro ainda são muito recentes. “Vivemos esse tempo e para quem só dele ouviu falar pode parecer algo muito distante, mas não é. É muito recente, 88 e 89 ainda estão muito próximos de nós”.

Wendpap citou ainda o movimento Diretas Já, que teve início no Paraná e gerou um processo constituinte altamente civilizado. “Foi um processo de construção de um ato civilizatório: a Constituição. E contou com a participação de paranaenses eméritos como estes que nos falaram hoje”, disse Wendpap antes de passar a palavra a Sguarezi.

O ex-parlamentar, que é advogado, destacou que não é só pela política que se consegue avançar, mas também pela sociedade organizada. Sguarezi frisou ainda a honra de representar o IDL, afirmando que o Instituto e o Movimento Pró-Paraná são compostos por pessoas que visam o bem, a união, a paz e o progresso da sociedade.

No breve histórico sobre sua participação política, Sguarezi destacou a importâncias das Diretas Já e deu um recado aos jovens: “Quando chegarem à minha idade, vocês vão ter certeza de que o Brasil será a grande pujança do mundo.”

Ezequias Losso iniciou sua fala prestando uma homenagem a Antônio Domakoski pelo hábil trabalho na política paranaense e parabenizou o presidente do Movimento Pró-Paraná por seguir os passos do pai e demonstrar o mesmo sentimento desbravador.

Losso saudou ainda o advogado Nilson Sguarezi e apontou que, hoje em dia, a vida política está representada por muitas pessoas interessadas somente no fundo eleitoral. “Houve uma inversão de valores e, com isso em vista, parabenizo mais uma vez o amor pela política de Nilson Sguarezi.”

Para Losso, a Constituinte no Paraná teve seu caminho aberto pelas atividades da Assembleia Nacional. Ele destacou a atitude do então senador José Richa ao demonstrar o interesse de levar a missão avante. “Foi uma vitória muito importante para os legisladores estaduais por ser possível, no trabalho constituinte, fazer alguns acréscimos sem modificar os princípios da Constituição Federal”, apontou.

Losso relembrou que, em um ano pré-eleitoral, a conscientização do eleitor é vital. “É imprescindível que os eleitores gravem os nomes e as propostas de seus candidatos para que oportunamente possam fazer cobranças”.

O ex-deputado estadual constituinte finalizou sua fala com um lembrete aos: “Rejeitem esses que estão apenas colocando seu nome no campo da aventura. O voto consciente é fundamental para o futuro do Paraná e do Brasil”, alertou.