Comitê de Infraestrutura recebe presidente do Instituto Água e Terra (IAT)

O geólogo Everton Souza, presidente do Instituto Água e Terra (IAT), foi o convidado da reunião semanal on-line realizada pelo Comitê de Infraestrutura do Pró-Paraná e do Instituto de Engenharia do Paraná (IEP). Souza atualizou os membros sobre o andamento da recuperação da orla de Matinhos, cujas obras estão sendo executadas pelo IAT, vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest).


A recuperação da orla compreende serviços de engordamento da faixa de praia por meio de aterro hidráulico, estruturas marítimas semirrígidas, canais de macrodrenagem, redes de microdrenagem, revitalização urbanística, bem como a pavimentação e a recuperação de vias.


A recuperação e a revitalização do litoral foram temas de uma nota técnica emitida pelo Pró-Paraná e pelo IEP, registrada em cartório e enviada ao Secretário de do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo do Estado do Paraná, Márcio Nunes.


O presidente do Pró-Paraná, Marcos Domakoski, participou da primeira etapa da reunião, destacando a importância do debate.
O Comitê já se manifestou de modo favorável ao assunto, uma vez que as mudanças terão impacto na economia local e vão resultar no incremento do turismo do Paraná. “Sem contar a melhoria da qualidade de vida dos moradores, principalmente pelas obras de saneamento”, destacou Luiz Roberto Bruel, coordenador-geral do Comitê de Infraestrutura.


O presidente do IAT ressaltou que o foco é o bem comum. “O papel de alavancar a economia do estado passa obrigatoriamente pela gestão do ambiente. Diante de todas as dificuldades, o Paraná tem crescido e a obra do litoral será fundamental para que siga assim”, afirmou.


Apesar da importância da revitalização, uma decisão liminar da Justiça suspendeu os trabalhos após pedido do Ministério Público. O governo do estado está fornecendo mais informações ao juiz responsável pelo caso e a provável data de retomada das obras é 26 de outubro.

Rodovias

Os presentes deliberaram ainda sobre a carta a ser enviada ao Governo do Paraná acerca das preocupações com o período de transição da gestão rodoviária após 27 de novembro, quando termina a vigência dos atuais contratos de concessão das rodovias no estado.