Em palestra no Rotary Club, presidente do Pró-Paraná destaca a importância da ética e da atuação pelo bem comum

O presidente do Movimento Pró-Paraná, Marcos Domakoski, palestrou durante uma reunião do Rotary Club Curitiba Oeste nesta terça-feira (3) e abordou a importância da solidariedade e da ética em um momento tão desafiador para a sociedade.

Domakoski ressaltou a necessidade da atuação para o bem comum diante do contexto em que o mundo presencia uma guerra cruel no leste europeu entre tantas outras que persistem mundo afora; o racismo ainda prevalece de maneira intensa; e que, aqui em Curitiba, a comunidade presenciou nos últimos dias atos de violência entre pessoas que deveriam comungar da boa convivência e ainda viu um policial federal matar e ferir pessoas em um posto de gasolina por motivo fútil.

“Nesses tempos de violência e vandalismo, temos que valorizar o trabalho de organizações como os rotarys e o Movimento Pró-Paraná, que pautam suas atuações em princípios como a ética, a solidariedade e o bem comum”, disse Domakoski.

Dia das mães

O evento do Rotary também fez alusão ao Dia das Mães, data celebrada no próximo domingo (8). “Trabalhamos pelo desenvolvimento do nosso estado. Para que o Paraná possa oferecer aos paranaenses esse cuidado que as boas mães dedicam aos filhos, buscando ampará-los mas, também, estimulando que caminhem cada vez com mais autonomia”, considerou o presidente do Pró-Paraná fazendo uma correlação com a data comemorativa.

Desenvolvimento

Domakoski destacou ainda o desenvolvimento do Paraná e a atuação do movimento em relação temas como a derrocada das Pedras Palanganas na Baía de Paranaguá – a abrir espaço para embarcações de maior porte — e a engorda das praias de Matinhos, medida que tornará o litoral mais atrativo e, assim, contribuirá para o avanço da indústria do Turismo.

Ele lembrou ainda que o Paraná é o quinto estado que mais contribui com o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, ficando responsável por uma fatia de 6,31%, o que corresponde a R$ 466,3 milhões, de acordo com dados divulgados pelo Ipardes em 2019. Domakoski também citou o levantamento da Fazenda Estadual segundo o qual os paranaenses recolheram, em 2020, R$ 75,8 bilhões em tributos federais.

O presidente do Movimento Pró-Paraná ressaltou que “retornaram” para o estado somente R$ 38,4 bilhões, o que corresponde a 51% do valor com o qual o Paraná contribui para os cofres da União. “É claro que os estados mais prósperos devem dar sua contribuição no pacto federativo, mas a discrepância está muito grande. E, na prática, sabemos que a diferença se dá, sobretudo, por gastos com a máquina pública, que pouco têm a ver com melhorias práticas na vida dos brasileiros”, avalia.