Fertilizantes entram em debate no comitê de infraestrutura do MPP e do IEP

Comitê de Infraestrutura do Movimento Pró-Paraná e do Instituto de Engenharia do Paraná (IEP) recebeu, em sua reunião semanal, nesta terça-feira (29/03), o engenheiro David Roquetti Filho, que trouxe em pauta a temática relacionada aos fertilizantes no Brasil e no Mundo.

Após a abertura do presidente do IEP, Nelson Gomez, Roquetti fez uma breve apresentação de sua formação profissional e, na sequência, iniciou sua fala abordando a questão dos fertilizantes no mundo, um produto que, em sua visão, é um dos embaixadores da paz, um pilar da segurança alimentar e nutricional, estratégico para o país e essencial para a economia, gerando 30 mil empregos diretos no Brasil.

Lançando mão de gráficos, o engenheiro tratou da produção, da importação, da exportação e do consumo de matéria no Brasil e no mundo. Inicialmente citou os compostos nitrogenados, destacando que a Eurásia responde por 77,7% da produção mundial. Já o Brasil produz 0,34% e se encontra no 34º lugar no ranking mundial. Em seguida, Roquetti falou sobre os fosfatados, cuja liderança na produção é também da Eurásia, onde se registra algo entre 53,2% e 68,9% de toda produção mundial. O Brasil produz apenas 3,9% de defensivos fosfáticos.

Situação semelhante ocorre com o potássio e o NPK, cuja produção também é liderada pela Eurásia.
O engenheiro ressaltou a importância dos fertilizantes para a economia brasileira e também para a sustentabilidade, pois seu uso permite melhor aproveitamento das terras agricultuáveis.

Roquetti mencionou a infraestrutura e logística envolvidas na circulação da matéria, destacando que o Porto do Paranaguá é um dos principais eixos, pois importa 8 milhões de toneladas de fertilizantes, o que representa 28% da importação do Brasil.

O convidado discorreu ainda sobre a complexidade e custo de transação do Sistema Tributário Brasileiro com uma legislação de 30 anos, com 5,8 milhões de normas, sendo 390.726 tributárias. Esclareceu que a obtenção da Licença Ambiental pode demorar até 10 anos, o que gera desmotivação para o investidor.

Como conclusão, apresentou uma relação da guerra Rússia X Ucrânia e o impacto no meio rural. Com os preços agrícolas dobrando de valor e o crescimento da inflação mundial, os produtores rurais sentem-se motivados a produzir mais. Portanto, é preciso identificar os potenciais fornecedores para o comércio internacional e entender que há muitas incertezas quanto à disponibilidade de recursos devido às atuais circunstâncias geradas pela guerra.