Plano de mobilidade de Guaratuba é debatido em mais uma audiência pública

O presidente do Movimento Pró-Paraná, Marcos Domakoski, participou na noite desta quarta-feira (17/11) da 4ª e última audiência pública sobre o Plano de Mobilidade de Guaratuba, promovida pela prefeitura local e pela Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná (Fupef).

O plano é um instrumento de política instituído pela Lei da Mobilidade Urbana 12.587/12 e serve como uma ferramenta de planejamento, orientação e desenvolvimento do transporte em áreas urbanas e seus arredores.

Domakoski abriu sua apresentação destacando que tem vínculos pessoais de toda uma vida com Guaratuba. Para defender as obras viárias, traçou uma comparação entre Guaratuba e Balneário Camboriú (SC), que vem passando por reformas desse tipo. “No Paraná não estamos tão mal. 10% do PIB é obtido pelo turismo, majoritariamente de Foz de Iguaçu, mas o nosso litoral não representa quase nada”. E pergunta: “Por que estamos apanhando tanto do turismo de Santa Catarina? Por nossa resistência à mudança, aos avanços e melhorias”, pontuou.

“A renda per capita de Camboriú é o dobro da de Guaratuba. O que Camboriú tem que Guaratuba não tem? O pôr de sol mais bonito está aí na nossa baía. Queremos continuar resistindo aos avanços absolutamente indispensáveis para o desenvolvimento sustentável do nosso município”?, questionou Domakoski.

O presidente do Pró-Paraná fez ainda uma sugestão de que sejam comparados os faturamentos de postos de gasolina, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais de Guaratuba com os de seus congêneres em Camboriú, para que todos consigam observar o bem que as mudanças trarão num futuro próximo. Para ele, uma cidade com a mobilidade bem resolvida atrai mais turismo. E isso, mesmo que pontualmente, afete uma ou outra atividade, trará como compensação um crescimento geral da economia. “O bem coletivo deve superar individual. Não conheço lugar no mundo em que um binário tenha atrapalhado o comércio”, disse em alusão a queixas isoladas quanto ao plano viário em análise.

Também participaram da audiência o prefeito de Guaratuba, Roberto Justus; o secretário Municipal de Urbanismo, Claudio Luiz Dal Col; o diretor geral de Urbanismo, Carlos Danilo Machado de Souza; o engenheiro civil e professor da Universidade Federal do Paraná, Eduardo Ratton, que coordena o projeto; a engenheira civil Amanda Christine Gallucci Silva; e o arquiteto Hermes Nichelle.